Notícias de Fátima
Religião Educação Sociedade Lazer Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB

Jorge Perfeito

9 de Janeiro, 2020

Olhar de Frente – Ver diferente

1.Antes de iniciarmos esta crónica há que fazermos uma prévia declaração de interesses. Somos indefetíveis defensores da regionalização e da elevação de Fátima a concelho, como é do sobejo conhecimento dos leitores. A questão da regionalização é assunto muito sério e dispendioso. Por isso não deve ser tratado às três pancadas e em cima do joelho, como tem acontecido com algumas infelizes reformas que se têm feito por aí. Trata-se de uma reforma administrativa de fundo que irá vigorar para as próximas décadas, para os vindouros. E por isso mesmo é que antes de se avançar de forma precipitada para a dita regionalização, com a hipótese futura da convocação de inoportunos referendos, deverá primeiro trabalhar-se no sentido de uma descentralização, nos serviços, das funções e competências, para se agilizar a posterior implementação dessas reformas. Foi essa, aliás, uma sugestão do presidente da república, a que o primeiro-ministro não deixou de ser sensível, não a deixando cair em saco roto.
Ora aqui, Fátima encontra-se numa situação privilegiada para acompanhar este sentido reformador e reformista, se para tanto dispuséssemos de gente competente e visionária à frente da freguesia. Mas não é isso que se passa. Funcionam em absoluto contraciclo, sem visão, nem estratégia. O simples facto de a actual junta de freguesia já se ter pronunciado negativamente contra a criação de uma simples loja do cidadão, disse-nos tudo. E passou-se muito recentemente. Veja-se também e já depois disso, a diminuição e absoluta decadência na qualidade dos serviços dos CTT (que era já de si fraca), ao transferirem o depósito das encomendas que havia na estrada da Batalha, para Caxarias. E alguém protestou, reclamou ou se mexeu? Ninguém fez nada.
Não existe concelho mais concentracionário e imobilista do que Ourém. Por isso mesmo tem estado tão parado e sem evoluir. Em vez disso, foi despendendo o dinheiro dos contribuintes em obras megalómanas e faraónicas, onde se prestam serviços de fraca eficiência e menor eficácia, salvaguardando, está claro, os interesses particulares de uns quantos. E com isto tudo, Fátima tem sido completamente desprezada e menosprezada, até pelos próprios autarcas da freguesia e que estão na CMO.
Para inverter este tipo de situação, torna-se imperativo que nas próximas eleições autárquicas surja uma lista de independentes que se candidate à junta de freguesia de Fátima, e assuma em primeiríssima mão e como principal desígnio, prometer e lutar pela elevação de Fátima a concelho, e pela descentralização, criação e implementação de todo o tipo de serviços para Fátima.
2.A CMO continua a ser pródiga na alarvidade, dislates e incompetência: 1 - O Tribunal de Contas pronunciou-se desfavoravelmente em relação ao assunto da FATIPARQUES, SA. A CMO, já não vai poder comprar as acções dessa sociedade, como pretendia. Veio dizer que não conseguiu fornecer informação adequada ao que lhes era pedido pelo dito tribunal; desapareceram actas; aquele número de telefone (particular!), disponível para o contacto do negócio, afinal era de um administrador dessa SA, e assessor da CMO. E toda a gente acha normal a anormalidade, e encolhe os ombros como se nada fosse. Uma trapalhada, uma escandaleira, uma mariolice. Só não vê que não quer, ou finge andar muito distraído. Isto da FATIPARQUES, é negociata que já veio dos anteriores executivos do PSD. É só esquemas. 2 - O PUF foi mais uma vez propositadamente suspenso. Desta feita, para permitir a implementação de uma superfície de comércio na rotunda norte. Quando o plano não permite qualquer construção entre as rotundas. Não permite, ainda… Depois da sua revisão, irão encarregar-se de licenciar e legalizar toda a panóplia de asneiras e atropelos que têm feito e continuam a fazer. É por demais. E não venham dizer que não há quem lucre um cêntimo com isto. 3 - A questão da declaração de interesse público municipal da zona das pedreiras do Casal Farto, também não está isenta de contradições e polémica. Foi aprovada à tangente, com algumas abstenções muito convenientes.
A iluminação de Natal em algumas ruas e na avenida, está mais bonita que em anos anteriores. Com papas e bolos, se enganam os tolos.

Boas festas e feliz Natal. Cá estaremos para o ano. Este foi mais um que passou muito depressa.

Últimas Opiniões de Jorge Perfeito