Notícias de Fátima
Religião Educação Sociedade Lazer Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB

Helena Barroso

22 de June, 2020

O Apoio à Família (Cuidadores) Alimentação e hidratação (Parte 4)

Frequentemente o doente perde a vontade de comer e emagrece. Em doenças muito avançadas o não ter apetite está associado ao sabor que sentem — sensação de amargo, mau gosto, gosto metálico… tendem até a beber mais do que comer, o que também é importante de modo a não ficarem desidratados.

 

A carência de líquidos provoca problemas sérios que se acrescentam aos da doença, como por exemplo: fraqueza, dificuldade em mexer o corpo, alterações do estado mental e toxicidade com os medicamentos.

 

Não se deve forçar o doente a comer, mas sei que é uma grande preocupação para quem cuida!

 

Deixo algumas sugestões:

• Prepare comida nutritiva ‑ juntar carne picada, peixe ou ovo nas sopas; usar mel nas torradas, no café ou no chá; regar a fruta com um pouco de chocolate derretido para dar sabor; dar gelado, gelatina ou outra sobremesa que o doente goste.

• Dar comida em menor quantidade e mais vezes ao dia, de preferência os pratos que o doente goste, podendo a refeição ser acompanhada com quem ele gosta ou até ao som de musica.

• É importante dar alimentos que ajudem no evacuar.

• Coloque alguns condimentos que vão mudando o sabor como por exemplo, hortelã, sumo de limão, maionese…

• Se o doente tiver dificuldade em engolir, prepare comida pastosa, sopas passadas, purés, empadão, papas, puré de fruta. Se lhe apetecer pão ou bolachas pode molhá‑los em leite ou chá.

• Evite dar alimentos com muita gordura, ou excesso de legumes ou bebidas com gás porque provoca muitos gases.

• Se o doente referir ardor no estômago peça ajuda aos profissionais de saúde, pois pode ser medicado. Neste caso, evitar ficar deitado logo após a refeição e evitar os alimentos que provoquem mais acidez como fritos, condimentos, café e bebidas alcoólicas.

• Se o doente estiver numa fase muito avançada da sua doença, quase sempre a dormir e a respirar lentamente, informe a equipa médica, não deve forçar a ingestão de alimentos e, o mais importante, é dar conforto humedecendo a sua boca (gaze húmida, borrifador com água ou chá de camomila, água, sumos, gelo). Nesta situação ele não come porque o seu organismo não sente essa necessidade.

 

 

Últimas Opiniões de Helena Barroso