Notícias de Fátima
Religião Lazer Sociedade Educação Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB

Miguel Ferreira

18 de March, 2021

Dicas: como se tornar mais apreciado (1ª Parte)

Qualquer um de nós quer gerar mais oportunidades onde quer que seja que desempenho um papel, pelo que vos desafio a praticarem mais estas expressões de delicadeza e empatia que o tornarão mais apreciado e consequentemente com maior qualidade de vida nas relações interpessoais, assim como também reforçam a auto-estima do outro.

1. “Fico feliz por te ver”

Procure sempre ser gentil, elogiar e expressar um afecto mais profundo. Se encontra alguém de quem gosta, não se fique por um inócuo “olá”. Vá mais longe: diga “fico feliz por te ver” ou “fico sempre feliz por te ver”. Com esta expressão está a comunicar que a presença da outra pessoa não lhe é indiferente, que gosta dessa presença, que essa pessoa lhe evoca sentimentos de felicidade.

2. “Lembro-me que tu…”

Ao evocar uma situação ou atitude positiva do outro ocorrida no passado, está a comunicar e que se lembra dele, e a reforçar uma capacidade ou habilidade. É provável que a outra pessoa também se vá lembrar de qualquer coisa positiva a seu respeito que não tinha notado e até se surpreenda com algo que marcou os outros sem saber. Este “lembro-me que tu” ou “talvez não tenhas notado, mas” deve ser sempre seguido de uma coisa positiva e não negativa. É fundamental que esta apreciação seja realmente autêntica, verdadeira e sentida, para que dê o devido efeito.

3. “Estou impressionado!”

Esta expressão foca-se naquilo que a pessoa faz, ou acabou de fazer, e visa reforçar a auto-estima do outro, sendo mais indicada de usar com pessoas que acabaram de chegar a um novo local e trabalho, jovens estagiários, pessoas que parecem estar deslocadas ou isoladas dentro do grupo. Muitas vezes essas pessoas estão aflitas, envergonhadas, inseguras. Ser a suporte amigo, com um elogio, uma chamada de atenção positiva, vai fazer de si um bastante apreciado, e para tal basta apenas a gentileza.

4. “Eu acredito em ti”

Naturalmente todos nós podemos ter inseguranças e a melhor forma de ajudarmos é acreditando genuinamente nos outros, na força que existe em cada um de nós para superar os obstáculos. Por isso, usar o “eu acredito em ti” pode ser fundamental para uma criança ou um adolescente ultrapassarem um bloqueio na sala de aula, na família ou com os amigos. E é igualmente oportuno usá-lo com adultos, sobretudo quem tem cargos de chefia, quem está a lidar com um colega de trabalho menos ágil, quem está perante um amigo ou amiga que perdeu o emprego, ou o namorado, pode reforçar a auto-estima dos outros com estas quatro palavras.

Este acreditar expressa uma confiança nas potencialidades do outro, vê as suas forças e destrezas até onde ele não consegue ver. Acreditar verdadeiramente nos outros pode ser o primeiro passo para acreditar em si mesmo.

5. “Vê só até onde já conseguiste chegar”

Esta expressão vem na linha da anterior, mas visa obrigar a outra pessoa a rever o seu percurso, ao mesmo tempo que demonstra que está atento a ela. Que registou os seus esforços, os seus sucessos, as suas conquistas. Dizer “vê só até onde já conseguiste chegar!” é, ao mesmo tempo, uma celebração do sucesso alheio.

6. “Gostava de saber o que pensas sobre…”

Na actualidade é tanta a ocupação e auto-suficiência que é muito comum, que quase ninguém ouve ninguém, sendo que muitas vezes se gera apenas uma conversas de afirmações, onde cada um fala de si próprio. Perguntar a alguém “gostava de saber o que pensas sobre…” ou “gostava de ouvir a tua opinião sobre…” é uma forma de comunicar ao outro que o considera inteligente, idóneo para se pronunciar sobre um assunto qualquer. Esta pergunta acolhe o outro na sua vida, ou no grupo de trabalho, ou numa decisão familiar. Uma vez torna-se fundamental que seja feita com sinceridade e abertura.

Bem hajam e boas práticas.

 

Miguel Ferreira

 

Últimas Opiniões de Miguel Ferreira