Notícias de Fátima
Religião Educação Sociedade Lazer Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB

Miguel Ferreira

23 de Janeiro, 2020

Mentalidade de escassez

A mentalidade de escassez é a crença persistente de que não se tem o suficiente e que se manifesta num sentimento de que não se pode dar ao luxo de viver a vida que deseja, tal como a sensação de que não pode comprar os bens materiais que deseja, até a preocupação de que nunca poderá pagar as suas dívidas, ou ainda, que nunca tem dinheiro que necessita para atingir os objetivos.

A presença constante desta mentalidade irá causar muita ansiedade acerca de tudo, desde as contas a pagar até mesmo à poupança que deveria estar a fazer, vivendo desconfortavelmente, e impedindo o foco nas metas financeiras de longo prazo, pois o único pensamento é atender às necessidades imediatas.

O que sucede então aqui é que a capacidade mental apenas fica reduzida na escassez, criando efeitos graves.

Há estudos que comprovam que os pobres tomam decisões limitadoras, não porque são burros, mas, porque sobre a pressão da escassez qualquer pessoa tomaria decisões limitadoras, ou seja, há uma correlação entre a pobreza e a diminuição de QI (quoeficiente intelectual).

Então, surge aqui, o efeito “bola de neve”. A pobreza resulta sobretudo da mentalidade de escassez, que ao estar preocupada com as dívidas e contas diárias, irá afetar negativamente a capacidade de tomar decisões, causando até baixo desempenho no trabalho e nas relações interpessoais.

Ora, estes efeitos poderão espalhar-se para outras áreas da vida e ainda mais nefasto, o “preocupar-se por não ter dinheiro suficiente” irá provocar a distração e falta de motivação para prosperar – torna-se, pois, uma profecia autorealizável.

Portanto, para o bem da sanidade e da conta bancária, o melhor é abandonar a mentalidade de escassez e adotar uma mentalidade de abundância.

 

Bem hajam.

Últimas Opiniões de Miguel Ferreira