Notícias de Fátima
Religião Educação Sociedade Lazer Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB
Home Religião Santuário mantém a decisão de celebrar o 12 e 13 de maio sem a presença física de peregrinos

Santuário mantém a decisão de celebrar o 12 e 13 de maio sem a presença física de peregrinos

Religião - 3 de May, 2020
A decisão foi divulgada este domingo através de um comunicado divulgado pelo bispo da Diocese de Leiria-Fátima, cardeal D. António Marto.

Tendo surgido informações de que o Santuário de Fátima poderia fazer a peregrinação aniversária de 12 e 13 de maio com a presença de peregrinos no recinto de oração, o bispo de Leiria-Fátima, cardeal D. António Marto, esclarece que “se mantém a decisão anteriormente anunciada de realizar estas celebrações com o recinto fechado, sem a habitual participação dos peregrinos”.

 “A decisão da Igreja Católica de seguir as indicações  das autoridades civis, no sentido de suspender as celebrações religiosas decorre da responsabilidade de fazer o que está ao seu alcance para não colocar em perigo a saúde pública  em sintonia com o mandato evangélico do amor ao próximo”, refere o comunicado do Gabinete do Bispo de Leiria-Fátima, divulgado este domingo.

 “Estamos conscientes de que um aglomerado imprevisível de pessoas na Cova  da Iria a 12 e 13 de Maio, numa altura em que o risco epidémico é elevado, contraria as orientações das autoridades de saúde, que optaram por fazer um desconfinamento gradual e faseado”, lê-se no referido comunicado.

 “Respeitamos por isso, numa atitude de colaboração com  as competentes autoridades civis, as orientações de realizar estas celebrações com uma presença simbólica de participantes, intervenientes na celebração e funcionários do Santuário de Fátima”, acrescenta o mesmo comunicado.

Tal como estava previsto em articulação com as autoridades civis, “as celebrações dos dias 12 e 13 de maio deste ano não poderão contar com a presença física dos peregrinos  e serão transmitidas pelos órgãos de comunicação social e digital”, lembra ainda o cardeal D. António Marto.

 Foto: Humberto Magro

Mais Notícias Religião