Notícias de Fátima
Sociedade Religião Lazer Educação Desporto Política Opinião Entrevistas Como Colaborar Contactos úteis Agenda Paróquia de Fátima
PUB

Beatriz Castro Borges

22 de outubro, 2021

Diabetes - a Tríade

A diabetes mellitus é uma doença cada vez mais prevalente na sociedade portuguesa. Estima‑se que cerca de 14%dos portugueses entre os 17 e os 79 anos sejam diabéticos, o que equivale a mais de um milhão de pessoas nesta faixa etária.

 

A diabetes é uma doença na qual o nosso organismo não consegue metabolizar o açúcar e equivalentes ingeridos,  levando a numerosas complicações, sendo as cardiovasculares as mais comuns.

 

No entanto, o diagnóstico de diabetes não é nem pode ser “o fim da linha”, já que existem medidas que previnem a progressão da doença. São três pilares de controlo da doença, aos quais chamamos “a tríade”: alimentação, exercício físico e medicação.


A alimentação de um diabético não deve ser “um bicho papão”. De facto, todos devíamos adoptar um plano alimentar semelhante ao das pessoas com diabetes. Os diabéticos devem ter uma alimentação equilibrada e variada, com controlo da ingestão de hidratos de carbono.

 

É importante lembrar que a o açúcar não está apenas presente nos alimentos doces, mas também em alimentos ricos em hidratos de carbono (massa, pão, batata), não devendo estes ser ingeridos em abundância. As pessoas com diabetes devem fazer cerca de seis refeições diárias, não ter um intervalo superior a três horas entre refeições e não fazer um jejum nocturno superior a oito horas. Os intervalos entre refeições são de extrema importância em todos os diabéticos, principalmente nos insulinotratados (os que estão medicados com insulina), já que nos permitem ter um padrão regular de absorção de glucose durante o dia. O jejum nocturno inferior a oito horas vai evitar potenciais hipoglicemias (níveis de açúcar baixos): durante a manhã. É de ressalvar que estes valores baixos são tão ou mais perigosos que os altos, num doente diabético, já que podem levar a alterações metabólicas e neurológicas graves.

 

Outro pilar da nossa tríade é a actividade física, que deve ser adaptada ao condicionamento físico de cada um. O importante é que seja regular e diária.

 

Finalmente, e não menos importante ‑ a terapêutica farmacológica. Os diabéticos (façam ou não insulina) devem tomar regularmente a sua medicação, pois esta ajuda a regularizar os valores de açúcar no sangue. A toma incorrecta ou inconstante da medicação pode levar a hiper ‑ ou hipoglicemias, e ter consequências graves na progressão da doença.

 

Vamos travar a diabetes!

Últimas Opiniões de Beatriz Castro Borges